sobre nós

A artemat

pngegg

A história da ARTEMAT, surgiu coma a idealização do artista plástico Carlos Alberto Bosquê Junior e Sebastião Mendes, com a fusão de quatro acontecimentos de experiências observadas importantes para sua organização e depois concretização e estruturação com a Presidente Idalina Gonçalves.

Toda vez que tínhamos no Estado o Festival internacional de Pesca de Cáceres, o artesanato disputava espaço com as telas dos artistas, observando que os artesão já tinham uma Associação composta e seus grupos com atuações mais permanentes nas apresentações devido as vendas, já era tarde segundo muitos artistas em conversa de 1996 a 1998 que fundássemos e oficializássemos uma Associação, mas não só municipal e sim de grande abrangência, Estadual, até porque os artistas plásticos do Estado de Mato Grosso já se encontravam em Salões, exposições e vernissages, e faltava uma representação com CNPJ para garantir uma representação com lideranças que pudesse manter um canal de comunicação e representação jurídica como referencial para somar com outros do Brasil.

Um dos acontecimentos desta idealização foi o fator memória, correspondendo a época em que tivemos no município a instituição da Fundação Cultural Municipal do Município de Cáceres com objetivo de adquirir autonomia e personalidade no investimento de um caixa destinado as ações de cultura em março de 1983, acompanhando dentro destas ações a Associação Cacerense de Artes Plásticas surge na década de 90, organização composta pela artista plástica Dona Alaíde Montecchi a qual seu nome é homenageado no Museu de Humanidades da UNEMAT, realizaram em 1996 o Primeiro Salão Cacerense de Artes Plásticas, tendo como premiados o nosso saudoso artista Sebastião Mendes e a saudosa artista Dona Joana Castrillon, pessoas que sempre comentavam em suas vontades, voltarmos a dar continuidade nos Salões já que a prefeitura não realizava mais estes incentivos. Uma coisa curiosa desta época foi o peso da palavra Secretaria Municipal de Educação e Cultura e a Fundação Cultural de Cáceres, priorizando as artes no sentido de colocar o esporte dentro da cultura e não o contrário como hoje as artes. 

A segunda se deu pela observação de espaços e organização de grupos ligados a arte, principalmente os grupos de dança e nas áreas visuais de artesanato como destacamos no início. A APAC – Associação Pantaneira dos Artesãos de Cáceres, destacou e destaca até hoje na parceria com as obras de artistas plásticos, nela a representação sempre em destaque dos artistas Carlinhos Vianna e Dona Mariana, além de muitos outros importantes artesãos e o violeiros de cocho Sr. Lourenço com suas canoas e miniaturas de violas, a divulgação com marketing de Cáceres para o exterior com os festivais de pesca destacou também artistas plásticos que foram alunos destes grandes mestres, ou pelo menos beberam da fonte do ar pantanal como Marilena Grolli, Rafael Jonnier e tantos outros.

A terceira veio das experiências do artistas Plástico Bosquê nascido no interior de São Paulo que já havia realizado encontros com artistas ribeirinhos no Projeto de Formação de Mão de Obra e Casa do Artesão que fundou no Pontal do Paranapanema-SP, começou em 2009 ao chegar definitivo para trabalhar como professor de arte em Cáceres  a organizar encontros com os diversos artistas plásticos do Estado, com a artista plástica Neuracy Pedra que trabalhava desde 2015 no Centro de Referências de Direitos Humanos da UNEMAT, o artista Sálvio Jr, Sebastião Mendes, Iram Almeida, Eduardo Martins, Chileno Ravier, Valdir Ricardo, Idalina Gonçalves, Adelice Queiroz e o artista Elias de Paula de Cuiabá entre outros que se destacavam e estavam dispostos a formar a Associação.

1º Encontro registrado em Ata de organização do grupo foi na noite do dia 30 de maio de 2016, na Praça da Cavalhada, motivados pelo apoio do professor da UNEMAT Luciano Silva, arqueólogo e historiador presidente do XARAÉS, também de alguns encontros com a Professora Zelma Assunção Mendes do grupo cultural Guató, o representante da preservação de patrimônios arquitetônicos históricos de Cáceres – ACHIC Sr. Gilson Espíndola e de Meio Ambiente com o Observatório de Aves o Sr. Miguel Ângelo Marques, decidiram criar suas associações e apoiar uns aos outros nas cobranças do Estado e do poder político, aumentando as forças para as conquistas da classe.

No dia 31 de Maio de 2016 na Praça da Cavalhada, foi nosso primeiro encontro oficial para dialogar a formação e fundação da ARTEMAT. 

Da esquerda para direita os artistas Luiz Eduardo Martins, Iram Almeida, Sebastião Mendes, Sálvio Junior, Everson da Silva Cândido, Luciano Silva e Carlos Alberto Bosquê Junior.

Com o tempo o grupo marcou diversos encontros e na primeira eleição oficial escolheram como representante para iniciar a elaboração final do ESTATUTO SOCIAL e com a adesão da Idalina Gonçalves tornou-se real a legalização jurídica em cartório, a artista plástica Idalina Gonçalves, a qual até a presente data nos representa em todo o Estado, conseguindo diversos apoios e visibilidade da classe trabalhadora de artistas que fomentam a cultura do Estado de Mato Grosso. O nome ARTEMAT criado pelo artista Bosquê, aprovado em Ata e no Estatuto como uma fusão de Arte e/ou Artistas do Mato Grosso, com T mudo no final para traçar as trajetórias de identidades que irão compor o grande mosaico do universo das artes no mundo.

Se torne um artista da associação.
Entre em contato e solicite o formulário para participar dessa experiência!